Mês: agosto 2019

O que é a história da Arte

A história da arte pode parecer um conceito relativamente simples:” arte “e” história ” são assuntos que a maioria de nós estudou pela primeira vez na escola primária. Na prática, porém, a ideia de “a história da arte” levanta questões complexas.

O que exatamente queremos dizer com arte, e que tipo de história (ou histórias) devemos explorar? Vamos considerar cada termo mais adiante.

história da arte

Arte versus artefato

A palavra “arte “é derivada do latim ars, que originalmente significava” habilidade “ou ” ofício”.”Estes significados ainda são primários em outras palavras inglesas derivadas de ars, tais como “artefato” (uma coisa feita pela habilidade humana) e “artesão” (uma pessoa habilidosa em fazer coisas).

Os significados de “arte” e “artista”, no entanto, não são tão simples. Entendemos a arte como envolvendo mais do que apenas artesanato qualificado. O que distingue uma obra de arte de um artefacto, ou um artista de um artesão? Quando feita esta pergunta, os alunos normalmente vêm com várias idéias.

Uma é a beleza. Muito da arte é visualmente impressionante, e nos séculos XVIII, XIX e início do século XX, a análise das qualidades estéticas foi realmente central na história da arte. Durante este tempo, a arte que imitava a antiga arte grega e romana (a arte da antiguidade clássica), era considerada a encarnar uma perfeição intemporal.

Historiadores de arte focaram-se nas chamadas Belas Artes, Pintura, Escultura e arquitetura, analisando as virtudes de suas formas. No último século e meio, no entanto, tanto a arte como a história da arte evoluíram radicalmente.

representação da mulher na arte

Artistas se afastaram da tradição clássica, abraçando novas mídias e ideais estéticos, e historiadores de arte mudaram seu foco da análise da beleza formal da arte para a interpretação de seu significado cultural.

Hoje entendemos a beleza como subjetiva, uma construção cultural que varia ao longo do tempo e do espaço. Enquanto a maior parte das artes continua a ser quase sempre visual, e a análise visual ainda é uma ferramenta super importante usada pelos historiadores de arte, a beleza em si já não é considerada um atributo essencial da arte.

Uma segunda resposta comum à questão do que distingue a arte enfatiza a originalidade, a criatividade e a imaginação. Isso reflete uma compreensão moderna da arte como uma manifestação da ingenuidade do artista.

Esta ideia, no entanto, teve origem há quinhentos anos na Europa Renascentista, e não é diretamente aplicável a muitas das obras estudadas por historiadores de arte.

Por exemplo, no caso da arte egípcia antiga ou dos ícones bizantinos, a preservação da tradição era mais valorizada do que a inovação. Embora a ideia de engenho seja certamente importante na história da arte, não é um atributo universal das obras estudadas pelos historiadores da arte.


Tudo isso pode levar a concluir que as definições da arte, como as da beleza, são subjetivas e instáveis. Uma solução para este dilema é propor que a arte é distinguida principalmente pela sua agência visual, ou seja, pela sua capacidade de cativar os telespectadores. Artefatos podem ser interessantes, mas Arte, eu sugiro, tem o potencial de nos mover emocionalmente, intelectualmente, ou de outra forma.

Pode fazê-lo através das suas características visuais (escala, composição, cor, etc.), expressão de Ideias, Artesanato, ingenuidade, raridade, ou alguma combinação destas ou outras qualidades. A forma como a arte se envolve varia, mas de alguma forma, a arte leva-nos para além da experiência diária e comum.

Os maiores exemplos atestam os extremos da ambição humana, habilidade, imaginação, percepção e sentimento. Como tal, a arte nos leva a refletir sobre aspectos fundamentais do que é ser humano.

Qualquer aparato, utilizado como produto da habilidade humana, pode fornecer um tipo de visão da condição humana. Mas a arte, ao ir além do lugar comum, tem o potencial de fazê-lo de formas mais profundas.

A arte, então, é talvez melhor entendida como uma classe especial de Artefato, excepcional em sua capacidade de nos fazer pensar e sentir através da experiência visual.

História da arte

Como definições de arte e beleza, as ideias sobre história mudaram ao longo do tempo. Pode parecer que escrever a história deve ser simples é tudo baseado em fatos, não é? Em teoria, sim, mas as provas que sobrevivem do passado são vastas, fragmentárias e confusas.

Os historiadores devem tomar decisões sobre o que incluir e excluir, como organizar o material e o que dizer sobre ele. Ao fazê-lo, criam narrativas que explicam o passado de formas que fazem sentido no presente.

Inevitavelmente, à medida que as mudanças atuais, estas narrativas são atualizadas, reescritas ou descartadas completamente e substituídas por novas.

Toda a história, portanto, é subjetiva tanto um produto do tempo e do lugar que foi escrito como da evidência do passado que interpreta.

A disciplina da história da arte desenvolveu-se na Europa durante o período colonial (cerca de 15 a meados do século XX). Os primeiros historiadores da arte enfatizaram a tradição europeia, celebrando suas origens gregas e romanas e os ideais da arte acadêmica.

Em meados do século XX, uma narrativa padrão para a “arte ocidental” foi estabelecida que traçou o seu desenvolvimento desde o Mediterrâneo pré-histórico, antigo e medieval até a Europa moderna e os Estados Unidos.

A arte do resto do mundo, rotulada de “arte não-Ocidental”, era tipicamente tratada apenas marginalmente e de uma perspectiva colonialista. As imensas mudanças socioculturais que ocorreram no século XX levaram os historiadores de arte a alterar estas narrativas.

Relatos de Arte ocidental que uma vez apresentou apenas homens brancos foram revisados para incluir artistas de cor e mulheres. O foco tradicional na pintura, escultura e arquitetura foi expandido para incluir as chamadas artes menores, como cerâmica e têxteis e mídia contemporânea, como vídeo e arte de performance.

O interesse na arte não-Ocidental aumentou, acelerando dramaticamente nos últimos anos.

Hoje, o maior desenvolvimento social que a história da arte enfrenta é o globalismo. À medida que o nosso mundo se torna cada vez mais interligado, a familiaridade com diferentes culturas e facilidade com a diversidade são essenciais.

A história da arte, como a história de artefatos excepcionais de uma ampla gama de culturas, tem um papel a desempenhar no desenvolvimento dessas habilidades.

Agora os historiadores da arte ponderam e debatem como conciliar as origens intelectuais europeias da disciplina e o seu legado colonialista problemático com o multiculturalismo contemporâneo e como escrever a história da arte numa era global.

Os vídeos e artigos de O Grande Sonho refletem esta história da história da arte. Desde que o site foi originalmente criado para apoiar um curso de arte e história ocidental, o conteúdo inicialmente focou nas obras mais célebres do cânone ocidental.

Com os períodos-chave e civilizações desta tradição agora bem representada e um número crescente de estudiosos contribuindo, a gama de objetos e tópicos aumentou nos últimos anos. Mais importante ainda, foi adicionada uma cobertura substancial das tradições mundiais fora do Ocidente.

À medida que o site continua a expandir-se, as obras e perspectivas apresentadas evoluirão progressivamente com as tendências contemporâneas da história da arte.

7 incríveis benefícios científicos para a saúde das tatuagens

Saúde e segurança são sempre preocupações de priorizar ao fazer uma tatuagem. É por isso que temos o departamento de saúde inspecionar nosso estúdio todos os anos, bem como comprar apenas equipamentos e Suprimentos de fabricantes respeitáveis.

Com preocupações sobre os riscos para a saúde, os benefícios para a saúde das tatuagens muitas vezes são negligenciados. Neste artigo, damos uma olhada nos 7 melhores benefícios científicos para a saúde das tatuagens.

1- Múltiplas Tatuagens melhoram o seu sistema imunitário

Um estudo publicado no American Journal of Human Biology descobriu que a tatuagem serve para inocular o sistema imunológico. Há duas razões para isso. Uma é que eles têm menos redução na imunoglobulina A. A segunda é que fazer uma tatuagem estimula uma resposta imunitária.

Imunoglobulina A é um anticorpo que ajuda os sistemas imunológico, gastrointestinal e respiratório. Níveis mais elevados do anticorpo ajudam o corpo a afastar os agentes patogênicos e até mesmo a constipação ou gripe comum.

As tatuagens também estimulam e fortalecem a resposta imunitária. Quando o sistema imunitário detecta um invasor estranho no seu corpo, envia anticorpos para atacá-los.

Isto acontece quando se faz uma tatuagem. O seu corpo ataca o invasor estrangeiro (tinta de tatuagem), razão pela qual o inchaço pode ocorrer. Eventualmente o teu corpo aceita a tinta e começas a sarar.

Ao longo deste tempo, o sistema imunológico torna-se mais forte através de seus esforços para combater a tinta.

Uma primeira tatuagem não tem o mesmo efeito que várias tatuagens. No primeiro, você é temporariamente mais suscetível porque seu sistema imunológico já está ocupado lutando contra a tinta da tatuagem.

No entanto, mais tatuagens compostos os efeitos positivos no seu sistema imunitário, para saber mais acesse o site curso de tatuagem.

2- Tatuagens reduzem o estresse

tatuagem reduz estresse

Além da imunoglobulina A, O estudo acima também testou os níveis de cortisol. O Cortisol é uma hormona do estresse. Foi testado no estudo porque o cortisol é um supressor da resposta imunitária.

Várias tatuagens foram encontradas para reduzir os níveis de cortisol, melhorando os benefícios do sistema imunológico de tatuagens, mas também ajudando com a redução do estresse. Níveis elevados de cortisol estão associados a muitos dos danos físicos e mentais do estresse:

  • Enxaqueca
  • Aumento de peso
  • Memória & aprendizagem inibida
  • Pressão arterial elevada

E isso é só para citar alguns. O corpo produz cortisol numa tentativa de reduzir a dor. Mas os efeitos associados nem sempre valem este benefício. Múltiplas Tatuagens resultam na resposta hormonal do cortisol como sendo menos ativa. Isso significa que menos cortisol é produzido, resultando em redução de estresse.

3- Tatuagens ajudam no atletismo

tatuagem pequena

A redução do Cortisol não é apenas ótima para reduzir o estresse, também tem benefícios físicos positivos para quem treina regularmente. Uma das maiores tendências no treinamento de peso agora é tentar reduzir os níveis de cortisol.

Isso é porque o cortisol reduz a capacidade do seu corpo para se recuperar e curar. Cortisol reduzido significa que seus músculos podem se reparar mais rápido após o treinamento, aumentando mais músculo e exigindo menos tempo de folga do ginásio.

Todos, desde os corredores aos jogadores de futebol, estão a fazer o seu melhor para manter baixos os níveis de cortisol.

Eles estão fazendo isso tomando suplementos e até mesmo usando guardas da boca no ginásio.

Talvez em breve veremos um aumento de tatuagens entre atletas na esperança de ganhar este benefício, pesquisas mostram que a busca por curso de tatuagem tem crescido muito no Brasil.

4- Tatuagens visíveis podem ajudar a conseguir um emprego

Há muito tempo que existe um estigma contra as tatuagens no local de trabalho. Não é incomum jovens à procura de uma remoção de tatuagens na esperança de serem contratados.

No entanto, estudos recentes descobriram que em alguns casos, tatuagens visíveis podem realmente aumentar suas chances de ser contratado.

O estudo descobriu que para alguns tipos de trabalho, tatuagens visíveis são preferidas. A razão por trás disso é porque eles ajudam a apresentar uma imagem que a empresa quer ser associado com.

A maioria destes tipos de trabalho são para empresas que visam um jovem, democracia. Isto é mais comum em indústrias como a moda.

Mesmo em empresas mais aceitantes Tatuagens sexuais, ofensivas ou relacionadas com drogas ainda são geralmente desaprovados.

5- As tatuagens estão a ajudar a melhorar as vacinas

Os maiores obstáculos para as vacinas são a eficácia e os custos. Através do estudo da tatuagem, os cientistas estão encontrando formas de tornar as vacinas mais eficazes com um menor custo de produção.

Eles estão usando tatuagens como um método de entrega de vacina em vez da agulha tradicional.

O método de entrega da tatuagem usa vacinas de DNA, fornecendo múltiplas doses com segurança, em uma única sessão.

Os resultados são respostas imunitárias humorais e celulares mais elevadas do que as injeções tradicionais da vacina. Com efeitos 16 vezes mais fortes.

As vacinas de DNA são de menor custo para produzir, tornando as vacinas mais acessíveis. Os laboratórios já tiveram sucesso usando o método da vacina para o HPV em ratinhos. E tatuar como um método de entrega já está em uso para outras aplicações médicas.

A desvantagem é que a entrega da tatuagem é mais dolorosa, é uma tatuagem, afinal, do que uma agulha tradicional. Isto pode limitar a sua utilização a vacinas terapêuticas, tratamentos de cancros e outras doenças importantes.

As tatuagens da vacina não usam tinta, por isso não há marcas permanentes.

tinta de tatuagem

6- As tatuagens proporcionam confiança e auto-estima

Aqueles com tatuagens conhecem a confiança associada à tinta fresca. É emocionante e você quer mostrá-lo, como uma versão amplificada do sentimento que você tem depois de um corte de cabelo realmente bom. Mas acontece que os efeitos de confiança não são apenas para tinta nova.

Um estudo de 2395 estudantes universitários encontrou uma correlação entre tatuagens e auto-estima. E quanto mais tatuagens, maior a confiança.

Os entrevistados com quatro ou mais tatuagens tinham uma auto-estima significativamente maior do que aqueles com menos. Isso foi especialmente entre aqueles que relataram uma história de depressão.

A causa para isso pode ser que uma tatuagem lhe dá uma sensação de controle sobre o si mesmo. E permite-te recuperar algo que foi perdido ou levado.

7- As tatuagens são boas

Ouve-se muitas vezes as pessoas depois da primeira tatuagem a dizer que mal podem esperar para fazer a próxima. Isso surpreende alguns, que perguntam: “as tatuagens não doem?”Outros assumem que é por causa do novo visual legal ou confiança que eles têm com a nova tinta. Mas do ponto de vista científico, há muito mais acontecendo.

Um dos maiores atrativos atraindo as pessoas para voltar a tatuar é o próprio processo. Sim, fazer uma tatuagem dói, mas é a resposta do corpo a esta dor que faz com que a tatuagem seja tão boa. O teu corpo liberta uma combinação de endorfinas e adrenalina, resultando num estado eufórico.