Mês: maio 2020

Cozinhas pequenas e Decoradas

cozinha pequena e decorada

A cozinha da casa, depois da sala, é sem dúvida o lugar que você mais passa tempo, e com muitas possibilidades de decoração, seja ela pequena ou ainda uma cozinha com espaço de sobra.

O importante na hora de planejar a sua cozinha ou qualquer outra parte, mesmo que seja a Fachada da sua Casa , é ter cuidado aos móveis e aos tamanhos dos mesmos. Uma boa opção, são as cozinhas e móveis planejados, que poupam espaço e se encaixam perfeitamente as suas necessidades.

Leia também: 5 Razões para sonhar alto.

Veja abaixo algumas ideias simples para sua cozinha

Em cozinhas pequenas, principalmente em apartamentos, quando menos itens você colocar na sua cozinha melhor, foque no necessário e a mantenha simples com móveis bem posicionados.

A escolha de um piso de porcelanato que combine com os móveis também é uma escolha inteligente.

Usar adesivos pode ser uma solução simples e barata para deixar a sua cozinha com uma decoração bem bonita e delicada.

É importante ter em mente como você vai querer a sua cozinha, casso esteja construindo a sua casa. Você deve considerar todos os detalhes desde o projeto ou planta da sua casa, tendo em mente o que deseja.

Cozinha com móveis escuros também são uma excelente opção, diferentemente do que muitos pensam.

Como você pode ver, na falta de espaço você pode unir com a sua cozinha a área de serviço.

O modelo acima é o exemplo perfeito que mesmo com muito pouco espaço, é possível fazer milagres na hora de decorar a sua cozinha.

Mesa para dois

Muitas vezes uma pequena mesa é muito melhor que uma mesa gigante, um estilo sensacional para casais que estão começando sua vida juntos e querem fazer jantares especiais para os dois.

Estilo rustico

Para você que gosta de um estilo mais rustico, é incrível como madeira e cores clássica podem ficar muito charmosas juntas, colocar um jardim vertical em uma das vigas de madeira pode deixar ainda mais lindo.

Tijolos na parede

Tijolos na cor preta como plano de fundo da sua cozinha são maravilhosos.

Sem armários

Esse estilo tem como intenção retirar todos os armários e colocar prateleiras no lugar dos mesmos, deixando aquela louça linda que você ganhou no seu chá de bebê ou no seu casamento a mostra.

Com balcão

O balcão funciona muito bem para você que quer um estilo mais despojado e quer combinar cômodos como cozinha e sala de jantar juntas, o que é o caso de muitos apartamentos.

Dicas para educar crianças mais obedientes

dicas para educar suas crianças

Você precisa frequentemente chamar a atenção do seu filho para que ele te obedeça e está em busca de dicas para educar crianças mais obedientes? Será que brinquedos educativos funcionam? E o que é necessário fazer para que eles sigam regras?

Se você está passando por isso e está com essas dúvidas não se sinta mal por isso, a mesma coisa acontece com outros pais.

Quem tem filho sabe como às vezes é difícil fazer com que eles respeitem certas regras quando ainda são pequenos.

Com isso, os pais se sentem como se estivessem fazendo repreensões durante todo o dia.

Além de não querer seguir as regras, crianças também desejam satisfazer suas vontades a todo o momento, mas esse tipo de comportamento não deve ser incentivado ou ignorado.

Pensando nisso, separamos algumas dicas que poderão te ajudar a educar seu filho de forma mais obediente. Confira!

Principais dicas para educar crianças

Antes de tudo, precisamos dizer que as crianças só começam a internalizar as regras propostas pelos adultos por volta de 2 a 3 anos de idade.

No entanto, não existe uma idade exata para que uma criança comece a apresentar comportamentos desobedientes.

Confortar os pais e as regras que eles estabelecem já pode começar muito antes dessa faixa etária e nesse momento é importante aplicar dicas para educar a criança.

Veja algumas dicas que separamos:

Utilize brinquedos educativos

De acordo com especialistas, brinquedos e brincadeiras ajudam no desenvolvimento de crianças.

Hoje, é possível encontrar diversas opções de brinquedos educativos disponíveis no mercado, que são classificados para diferentes tipos de faixa etária.

Além de promoverem o desenvolvimento da criança, como as habilidades motoras, os brinquedos com foco educativo são muito importantes para tornar uma criança mais obediente.

Isso porque com alguns deles as crianças precisam seguir regras para conseguir chegar ao objetivo final.

Além disso, os pais podem participar da brincadeira junto com os filhos, os educando e desenvolvendo outros comportamentos, como a obediência.

Utilize palavras positivas

Seu filho precisa se sentir incentivado para coisas boas. Sabe aquela história de que o filho tirou 9 e o pai disse que ele tinha que ter tirado 10? Esse tipo de fala não ajuda a criança.

Em vez disso, é importante que os pais digam que ele é inteligente e que na próxima vez, se ele se esforçar mais, conseguirá uma nota melhor, uma boa opção é incentivar a leitura para seu filho dês de novo.

Quando a criança erra, precisamos ter muito cuidado no momento de corrigir seu “erro”.

Se ela quebrar algo sem querer e os pais falarem que ela é desastrada e quebra tudo, eles não estarão apoiando que ela seja menos desajeitada e sim reforçando uma palavra negativa. Na cabeça da criança, ela estará aceitando o que os pais estão dizendo, ou seja, que ela é realmente desastrada e logo vai começar a pensar que não sabe fazer nada direito.

As palavras dos pais tem muito peso para os filhos. Então, use palavras positivas para torná-los mais obedientes.

Seja o melhor amigo do seu filho

Muitas crianças possuem dificuldade em contar como estão se sentindo para os pais, mas isso pode ser trabalhado. É importante que os pais estejam abertos a ouvir e aconselhar os filhos, sem criticar ou magoar, para não perder a confiança deles.

Vale deixar claro que escutar e tentar compreender seu filho não quer dizer que você deve concordar com a situação. Pelo contrário. Quando você escuta e não crítica, uma relação de confiança é criada e a criança estará mais aberta a saber o que você tem a dizer.

Conquistando a confiança do seu filho você estará mostrando que ele pode confiar em você e não importa o que ele faça, poderá contar com você.

Dê bons exemplos para seus filhos

Não existe nada pior no desenvolvimento de uma criança do que pais que não dão bons exemplos. Claro, os pais não são perfeitos e irão cometer erros, afinal são pessoas. Porém, é muito importante ter cuidado para não cobrar algo que você mesmo não faz. 

Como uma criança vai entender que ela deve ser educada e ter paciência com outras pessoas, se você costuma provocar brigas no trânsito ou até mesmo dentro de casa? 

Como falamos, é claro que você irá errar e ter alguns deslizes, mas evite o máximo possível que isso aconteça. Mas, se acontecer, você pode conversar com seu filho para que ele sempre te sinalize quando você errar. Isso é um ato de coragem e humildade dos pais, que que desperta a admiração das crianças. 

A importância dos pais para educar as crianças 

Os pais são as inspirações para as crianças. Isso quer dizer que é extremamente importante que eles estejam dispostos a educá-las para que sejam mais obedientes. 

Crianças estão passando por uma fase de desenvolvimento e aprendizagem, ou seja, elas precisam de apoio e direcionamento para saber o que é certo ou errado, e os pais têm um papel fundamental nisso. 

Cada pessoa possui sua essência, com personalidades, temperamentos e dons diferentes. Portanto, é importante que os pais cumpram a missão de compreender seus filhos para que consigam torná-los mais obedientes e, consequentemente, boas pessoas na vida adulta. 

Dicas para escolher um bom plano de saúde

plano de saúde de qualidade

Quando se trata de escolher um bom plano de saúde, há muitas coisas a verificar. De fato, essa escolha pode ser extremamente difícil, também porque é um produto que está se tornando cada vez mais popular. Então, o que você deve considerar ao escolher um plano de saúde?

Ter um bom plano de saúde é essencial. Afinal, nunca se sabe quando precisaremos recorrer à assistência médica.

Assim sendo, como ter acesso a um plano de saúde que ofereça todas as condições de atendimentos necessárias? Qual é a melhor forma de contratar? Quais são as dificuldades?

Leia também: Aposentadoria especial: Descubra as Regras da Previdência Social

O que considerar ao escolher um plano de saúde?

A coisa mais difícil ao escolher um plano de saúde, de fato, são as próprias barreiras impostas pelas operadoras de planos. A maior parte dos bons planos de assistência médica dificultam a adesão individual, privilegiando apenas os plano de saúde empresarial, assinados através de entidades.

Se você não é filiado a uma entidade de classe que tenha convênio com qualquer plano de saúde, a melhor forma para que você tenha acesso a um plano coletivo será, sem dúvidas, através de um corretor de seguros.

Alguns fatores devem ser considerados na hora de escolher um bom plano de saúde. Sobretudo porque o que torna uma assistência médica realmente útil são as suas próprias necessidades, e as necessidades dos seus eventuais dependentes.

1 – Personalize sua escolha

Antes de tudo, por mais trivial que pareça, você deve se perguntar do que precisa, pois assim, existe a possibilidade de personalizar sua escolha.

Um plano de saúde pode ser eficaz para uma pessoa, mas não para outra. Então, as primeiras avaliações a serem feitas são:

  • Quais riscos são tomados diariamente, com base no tipo de trabalho que você realiza
  • Se o escritório fica na casa ou se você viajar muitos quilômetros por dia no carro
  • Se o ambiente em que você mora está mais sujeito a riscos ambientais, etc.

Dito isto, com o contrato de plano de saúde proposto em mãos, é necessário entender alguns itens importantes que dizem respeito à possível compensação.

2 – Compare os tipos de planos de saúde

Você encontrará uma diversidade de planos enquanto faz sua escolha. O tipo que você escolher ajudará a determinar seus custos diretos e quais médicos você pode consultar.

Ao comparar planos, procure um resumo dos benefícios. Procure saber a lista os médicos e clínicas que participam da rede do plano.

Ao comparar planos diferentes, coloque as necessidades médicas de sua família à frente da escolha. Veja a quantidade e o tipo de tratamento que você recebeu no passado. Embora seja impossível prever todas as despesas médicas, conhecer as tendências pode ajudá-lo a tomar uma decisão.

3 – Escolha um plano de saúde adequado à sua idade

As companhias de seguros sempre impõem limites de idade para cada valor de plano.

4 – Considere serviços adicionais

Em alguns casos, um plano pode oferecer mais do que apenas cobertura dos custos incorridos para o tratamento, mas também pode fornecer outros serviços. Um exemplo é a cobertura legal em caso de danos sofridos por tratamentos médicos incorretos ou negligentes. Pergunte a si mesmo quais você pode precisar e quais você não precisa.

5 – Procure saber o que o plano não irá cobrir

Você não deve esquecer que mesmo o melhor plano de saúde não cobrirá todas as suas despesas relacionadas à saúde. De fato, as políticas geralmente não cobrem:

  • Despesas com o tratamento de problemas médicos pré-existentes no momento da contratação.
  • Despesas devido ao abuso de álcool, drogas e psicotrópicos no momento da contratação
  • Despesas odontológicas, salvo indicação
  • Despesas com intervenções estéticas
  • Abortos voluntários

6 – Rede credenciada

A primeira coisa que você deve analisar é a rede credenciada dos planos de saúde disponíveis na sua área. Nesse sentido, é importante ver se os médicos que normalmente lhe atende (se houver algum de sua predileção) aceitam esse ou aquele convênio médico.

Do mesmo modo, é importante ver qual é o convênio com a cobertura mais ampla de hospitais, tanto para emergências, quanto para internações eletivas, na cidade onde você mora ou nas cidades para onde você costumeiramente se desloca, caso viaje com frequência.

O melhor plano de saúde, portanto, será o que, além de ser atendido por mais médicos de sua predileção, abarque o maior número de hospitais de referência para as suas necessidades.

7 – Carências e limitações

Todo plano de saúde tem um período mínimo para o acesso a determinados procedimentos. Às vezes, certas cirurgias eletivas ou tratamentos, como quimioterapia, só podem ser utilizados depois de 6 meses, a depender da assistência médica.

Por isso, avalie, conforme a necessidade e o seu histórico pré-existente de doenças (e dos seus dependentes, caso você pretenda incluir alguém no seu plano) qual é o que oferece as melhores condições em caso de urgência. Os planos não costumam a flexibilizar as carências.

8 – Preços e valores reajustados

Depois de considerar os dois outros fatores, como rede credenciada, cobertura de área e carências, é importante que você considere se o preço comparado é justo e adequado.

Do mesmo modo, é bom pesquisar quais são os valores médios de reajuste do plano ao longo do tempo.

Com muita atenção às dicas, faça uma pesquisa extensa, comparando todos os fatores. Contate, se possível, mais de um corretor. Deste modo, você poderá escolher um bom plano de saúde!